REGIONAIS ECC

 

Clique e conheça

ESPECIAL:
ENTREVISTAS COM REPRESENTANTES
DOS REGIONAIS NORTE I, II E Noroeste DO ECC:

Quando ouvimos falar em Região Norte, nosso imaginário nos reporta à visão da floresta exuberante, “mistério verde”, “pulmão do mundo”, cuja flora e fauna são incomparáveis. Uma terra cortada por rios caudalosos em cujas águas a vida pulula; de um folclore riquíssimo e de uma variedade de lendas que nos fascinam. E também de um povo forte: índios, seringueiros e ribeirinhos que preservam, com amor, castanhais e seringais, vivendo da floresta sem acabar com ela. População esta que é, cada vez mais, empurrada para o fundo da floresta pelo “arco do desmatamento”. É nesse espaço “privilegiado” onde as distâncias, quase sempre, precisam ser vencidas com determinação e coragem que a missionariedade do ECC tem levado os casais ao “encontro com Cristo”. Transpondo obstáculos, superando dificuldades, impulsionados pelo ardor da missão, estes discípulos e missionários têm levado o ECC até mesmo a comunidades encravadas no coração da selva.

A Região Norte está divida em três Regionais:

 

Norte I

Número de Estados – 02 (Amazonas (parte) e Roraima)
Número de Dioceses com ECC – 02 (Manaus e Boa Vista)
Número de Paróquias com ECC – 20 paróquias com ECC implantado
Casal Regional: Adalberto e Sandra
Diretor Espiritual Regional: Pe. Luiz Laudato

Entrevista com o Casal Regional:

1. Quais as peculiaridades deste regional?
R. Distância e tipos de locomoção (somente barco ou avião que é caríssima)

2. Qual a maior conquista do ECC no último ano?
R. A maior conquista é o engajamento nas pastorais; estamos trabalhando para que isso aconteça em todo o regional e assim atingir o objetivo principal do ECC.

3. Qual o maior desafio para a realização do trabalho?
R. Está sendo a visita aos municípios devido à distância (são dias de viagem) e a aceitação dos bispos para a implantação do serviço, pois muitos acham que não precisam do serviço do ECC para suas dioceses e paróquias.

4. Qual a principal meta para este ano?
R. A meta principal após a realização do Congresso é sair para as visitas nos municípios que ainda não visitamos.

Entrevista com o Diretor Espiritual Regional:

1. O ECC tem contribuído para a evangelização das famílias neste regional?
R.100%

2. Qual o maior obstáculo para a missionariedade do ECC no regional?
R. A omissão de alguns sacerdotes e bispos.

Norte II – Pará e Amapá

Número de Estados – 02 (Pará e Amapá)
Número de Dioceses com ECC – 11 (Belém, Abaetetuba, Bragança, Cametá, Castanhal, Macapá, Marabá, Óbidos, Ponta de Pedras, Santarém, e Itaituba).
Número de Paróquias com ECC – 76 paróquias com ECC implantado.
Casal Regional: Ede e Ana
Diretor Espiritual Regional: Pe. Paulo Falcão

Entrevista com o Casal Regional:

1-Quais as peculiaridades deste Regional?
R- Dinamismo, perseverança, distância e difícil acesso das Dioceses.

2. Qual a maior conquista do ECC no último ano?
R. Participação de 90% do Conselho Regional Norte II no Congresso Nacional em Natal.

3.Qual o maior desafio para a realização do trabalho?
R.Conscientização do compromisso dos dirigentes de 1ª, 2ª, e 3ª Etapa e Diretores Espirituais com o Serviço-Escola do ECC

4. Qual a principal meta para este ano?
R. Implantar o ECC nas Dioceses e Prelazias onde ainda não tem o ECC.

Entrevista com o Diretor Espiritual Regional:

1. O ECC tem contribuído para a evangelização das famílias neste Regional?
R. SIM

2.Qual o maior obstáculo para a missionariedade do ECC no Regional?
R. Distância, Conscientização, Disponibilidade

Noroeste – Acre, Rondônia e Amazonas (parte)

Número de Estados – 03 (Acre, Rondônia e Amazonas)
Número de Dioceses com ECC – 07 (Arquidiocese de Porto Velho, Diocese de Ji-Paraná, Guajará-Mirim, Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Humaitá e Prelazia de Lábrea) Obs. Todas as Dioceses do regional estão com ECC implantado Número de Paróquias com ECC – 49 paróquias com ECC implantado.
Casal Regional: Ylêdo e Dione
Diretor Espiritual Regional: Pe. Asfury

Entrevista com o Casal Regional

1. Quais as peculiaridades deste regional?
R. Grandes distâncias entre as Dioceses do Regional; Paróquias localizadas às margens dos rios cujo acesso só é possível por via fluvial; Religiosas que assumem com muito ardor e compromisso a função de orientadoras espirituais; Autonomia financeira das paróquias de todas as Dioceses do Regional, para realização dos ECCs de 1ª, 2ª e 3ª etapas, pela realização do Domingo da Família.

2. Qual a maior conquista do ECC no último ano?
R. Realização de todas as modalidades de formação na Paróquia Nª Srª das Dores, situada no município de Ipixuna-AM; Diocese de Cruzeiro do Sul- AC, onde o acesso somente é possível através de barcos de pequeno porte; Implantação do ECC 3ª. etapa na diocese de Guajará-Mirim e Prelazia de Lábrea.

3. Qual o maior desafio para a realização do trabalho?
R. A rotatividade de sacerdotes nas Paróquias da Arquidiocese de Porto Velho e Diocese de Guajará-Mirim; A carência de sacerdotes para assumir a missão de Diretor Espiritual Diocesano, Setorial e nas 3 etapas do ECC.

4. Qual a principal meta para este ano?
R. Implantação do ECC 3ª etapa na Diocese de Guajará-Mirim e Prelazia de Lábrea.

Entrevista com o Diretor Espiritual:

1. Como o ECC tem contribuído para a evangelização das famílias neste regional?
R. São duas décadas da existência do ECC em nosso regional. Nesse período milhares de casais vivenciaram o ECC nas suas três etapas. Não na sua totalidade, mas um percentual de aproximadamente 70% vem exercendo funções importantes em todas as Dioceses do Regional Noroeste, na condição de Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística, dos Enfermos, da Palavra, do Culto, Catequista, Coordenadores de Comunidades, Equipes de Liturgia, Pastoral da Criança, Pastoral Familiar, Pastoral do Dízimo, Pastoral da Acolhida e, até mesmo como Diáconos Permanentes (esposos), entre outros. Também se destaca a participação de filhos e filhas de casais que vivenciaram o ECC na formação catequética de Primeira Eucaristia, Crisma e no EJC (Encontro de Jovens com Cristo).

2. Qual o maior obstáculo para a missionariedade do ECC Regional?
R. Não diria “o maior”, mas vários fatores têm contribuído:
a) Falando das comunidades do interior, as distâncias e as dificuldades de acesso contribuem bastante.
b) A não eficiência ou falta de liderança de muitos casais coordenadores de círculos domiciliares.
c) Programas de TV como futebol e a prática deste, e novelas.
d) Como o ECC veio responder à uma de nossas necessidades pastorais que era a de atingir a classe média é, ao mesmo tempo, essa classe que nos finais de semana se ausenta da cidade para cuidar de suas chácaras, fazendas…, ausentando-se inclusive da participação no culto dominical.
e) A missionariedade, acredito, passa pela disponibilidade de se ir ao encontro do outro, de servir o outro… Acontece, porém, que há sempre uma grande disponibilidade de casais para compor as equipes de trabalho do ECC PRIMEIRA ETAPA, não ocorrendo o mesmo quando para compor as equipes de trabalho do ECC SEGUNDA E TERCEIRA ETAPAS.
f) Há falta de apoio por parte de muitos diretores espirituais do Regional, que não acompanham nem se disponibilizam para encontrar-se com os casais que vivenciaram o ECC em suas paróquias e, muitas vezes, nem ao PÓS-ENCONTRO vão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
20 ⁄ 10 =